Noites na Ordem - A música como janela para o cérebro

16 de Maio de 2018 | Secção Regional do Norte da Ordem dos Farmacêuticos

 

Caro (as) Colegas,

A Direção da Secção Regional do Norte da Ordem dos Farmacêuticos (OF) vem convidar todos os colegas a participar na próxima Sessão das “Noites na Ordem”, que decorrerá na quarta-feira, dia 16 de maio, na sede da Secção Regional, subordinada ao tema “A música como janela para o cérebro”  e que contará com a participação do médico neurorradiologista, Dr. Tiago Gil Oliveira.

 

O cérebro é talvez o órgão do corpo humano sobre o qual os mistérios do seu funcionamento ainda estão mais por esclarecer. Devido a esse desconhecimento sobre a sua organização e sobre a sua ligação ao comportamento humano, muitas das doenças que afetam o sistema nervoso central, como por exemplo a doença de Alzheimer, ainda não têm terapêuticas eficazes.

Dado que os avanços da investigação científica ainda não oferecem as respostas que os cientistas e os clínicos procuram, outros caminhos ligados às humanidades, como por exemplo a música, poderão oferecer uma “janela” na compreensão de certos fenómenos relacionados com o cérebro humano.
 
Tiago Gil Oliveira é atualmente Professor Auxiliar na Escola de Medicina, Universidade do Minho, Investigador no Domínio de Neurociências, do Instituto de Ciências da Vida e da Saúde e Médico, Neurorradiologista no Hospital de Braga.
 
Foi o primeiro estudante de doutoramento do "Programa MD/PhD", uma colaboração entre a Universidade do Minho, Portugal e a Columbia University, NYC, USA. Efetuou os seus estudos doutorais na Columbia University, entre 2007 e 2010, e efetuou a componente letiva referente ao curso de Medicina na Universidade do Minho. Ao focar-se no estudo dos lípidos de sinalização na patogénese da doença de Alzheimer, demonstrou que a ablação da enzima moduladora de lípidos, fosfolipase D2, tinha um efeito protetor em diferentes modelos da doença de Alzheimer. É desde 2011 Professor Auxiliar Convidado na Escola de Medicina, Universidade do Minho, onde leciona Anatomia a estudantes de Medicina. Já a trabalhar no Minho, expandiu os seus interesses de investigação ao estudo dos distúrbios do humor. Recorrendo a técnicas de lipídica, demonstrou que vias de sinalização lípidas específicas estão alteradas num modelo de stress crónico, o que poderá levar induzir a descoberta de novo alvos terapêuticos. Atualmente, usa também técnicas de lipidómica para estudar os mecanismos patológicos de doenças neurodegenerativas. Em paralelo com o seu trabalho académico, continuou a sua carreira médica e efetuou o treino clínico de Neurorradiologia no Hospital de Braga.
 
É autor de vários artigos científicos em revistas internacionais, de duas patentes, orientador de vários alunos de doutoramento, diretor do curso de doutoramento em Medicina, da Escola de Medicina, Universidade do Minho e secretário da Sociedade Portuguese de Neurociências.
 
Galeriade imagens do evento: http://www.ofnorte.pt/galeria/detalhe/?idGaleria=64  


Documentos relacionados:
186.9kB